sexta-feira, 6 de novembro de 2009

video

Ana Filipa Pinto

Ana Margarida Pinheiro

07/11/2009

Petropolis

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O intercâmbio universitário é o novo xanax.







Nada como vivermos na primeira e na terceira cidade mais feliz do mundo para aligeirar o nosso fa(r)do depressivo.

domingo, 13 de setembro de 2009

Un lloc estrany

Dezoito dias depois de vocês terem posto os pés em terras de Vera Cruz (desculpem a expressão arcaica mas dá um ar mais pomposo à cena), a Margarida vulgo Gui, tentava desesperadamente arrastar consigo 2 malas trolley, 1 pasta com o computador, 1 mala de mão e 1 necessaire pelo aeroporto de Barcelona. Não foi fácil. E ainda por cima tinha a maquilhagem borrada. No dia seguinte chegaria a Maria vulgo Mané com uma das malas mais pesadas de toda a história (da bagagem sem cadáveres, claro).
Desde então passaram-se 10 dias. Coisa pouca para o que aqui vamos passar. Entre factos importantes contam-se a descoberta de um novo lar um pouco obscuro, passeios intermináveis numa cidade interminável, a praia mais descomplexada do mundo, visitas nocturnas ao museu, tapas a 1 euro, e a academia de linguas L'Ovella Negra. Temos um novo amor linguistico el català (què estem praticant). E estamos também a incursar por outras áreas do conhecimento que não a comunicação, como a zoologia e a estética capilar. A primeira aula foi sobre cucarachas na cozinha. A segunda foi sobre coloração profissional em casa de banho de 3 m2. Somos fãs da pastisserie catalã e do café amb llet. Travámos um amor proveitoso com a marca Eroski no supermercado da zona. Já tiramos o passe. Já temos telemóvel espanhol. Já temos conta no banco. Já fizemos uma maquina de roupa branca. Já tirámos a agua da maquina com uma panela.
As malas ja estão vazias mas continuam a pesar.


Un petó
Gui i Mané

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Uma semana, duas semanas . . .


Já chegámos às duas semanas. Por aqui, apesar desta ter voado, a verdade é que os acontecimentos foram muitos.
Descobrimos que as "palavras têm muita força" e que sair à noite na Lapa é como ir ao Bairro Alto com Samba; Funk; Pagode, claro está, numa dimensão um bocadinho maior.
As aulas também já arrancaram, ou melhor "vão arrancando". Por aqui a rapidez não é um lema de vida, ainda falam dos Alentejanos...
Mas podemos dizer que estes dias até foram rentaveis:
Os professores não têm papas na lingua, e as portugesas até já emocionaram uma delas - pena saltar para cima de colunas em plena Copacabana, cantar em karaokes e utilizar demasiado o Olfacto e o particípio passado do verbo foder.
Ipanema também foi paragem e ali nem as Gringas tiveram dinheiro para comprar o que queriam.
A chuva também gritou alto, inclusive tão alto que a Ana Margarida até caiu ao chão. Precalsos de um dia atarefado. Mas o dia não se ficou por aí e se uma caiu a outra cortou o polegar enquanto travava uma luta com a carne congelada.
Mas vejam o quão rentável foi a semana: já lá vão dois certificados para o curriculum e uns quantos cockails tomados entre ternos e espumantes.
E bem, amanhã esperamos o sol e quem sabe um almoço na Barra da Tijuca. Também esperamos que a praia nos receba bem até porque Inverno aqui não é sinónimo de frio e de um sábado passado à lareira.

Ana Margarida Pinheiro
Ana Filipa Pinto
Rio de Janeiro

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Acordando na Lapa.


Hoje foi dia de passeio. Começámos por apanhar uma "chuva molha parvos" (é bom recuperar algumas expressões bem portuguesas). E como se não bastasse ainda nos enganámos na saída do ônibus. O resto do percurso foi feito a pé. Chegadas à reitoria, fomos recebidas com uma sessão solene - nós, os restantes 50 portugueses e mais uns quantos "gringos". Ouvimos o hino brasileiro que arranca com o grito do Ipiranga dado por um português, há já alguns séculos. Depois veio o lanche mas o melhor foi o passeio. Acordámos na Lapa. Ninguém sabe como lá chegámos, mas lembramo-nos de entrar num ônibus, darmos o nosso celular ao moço italiano do lado e... Bem, aqui fica a fotografia - a primeira de muitas das portuguesinhas em terra brasileira. Ah, e já agora, hoje andámos de bondim (mais um pedacinho de novela da Globo né?).



Ana Margarida Pinheiro
Ana Filipa Pinto
Rio de Janeiro

terça-feira, 18 de agosto de 2009

"Directamente da cidade maravilhosa, sim o Rio de Janeiro é realmente a cidade maravilhosa!!"

Já lá vão quatro dias desde que os cintos foram desapertados e que a nossa língua começou a ganhar "sotaqui" brasileiro.
A galera já conhece as portuguesinhas e já está marcado o dia em que se irá cozinhar à moda portuguesa em cozinha brasileira. Sim portuguesinhas, as bolsistas da UFRJ, bolseira é "um monte de bolsa".
A água de côco e o Leblon foram a primeira paragem, mas é em Botafogo que as noites se passam e o dia nasce a poente. Da janela avista-se o pão de açucar e o corcovado também não está muito longe.
"Acham hilário? Isso!!!!"
Aqui não se apanha sol, "si toma um sóu", mas não há dúvida, acabamos de entrar numa novela da Globo, onde até já nos cruzámos com a Julinha do Caminho das Índias, em pleno Calçadão!
Mais "sambadinhas" e com água na boca depois do pão de queijo, do quindim, do chá de matte, da calabreza e do catupiry, as portuguesinhas já tiveram a primeira aula. Foi bom ser actriz da New Wave, as salas são pequeninas as mesas pouco cómodas, mas a aula de marketing foi "legal" - aqui "giro" não existe!
A primeira chuva tropical começa a cair, mas os dias têm contado com mais de 30º. "Isso ai" é o Inverno. "Qui saco né? É dose", imaginem o Verão. Nem no Alentejo nem na Serra da Estrela é assim, mas parece que Portugal está em "toda a parte", até no Cinema onde " Aquele querido mês de Agosto" passa na sala 2, por R 15$.
A privada é a sanita e a sua água gira ao contrário, são os milagres da Fisica, mas por aqui a Iemanjá e os Pai de Santo são bem mais milagreiros que a própria Ciência - " Traga seu amor e resolva seus problemas!"

Bem, por enquanto é tudo, e como dissemos no inicio, ainda só vamos em 4 dos 155 dias.

" Rio chegámos, mesmo com tanta gente acreditando qui só por milagre um dia estaríamos aqui "


Ana Margarida Pinheiro
Ana Filipa Pinto
Rio de Janeiro